Virando Gringa

15 viagens alternativas para libertar seu Hipster interior

Meu parceirão HostelWorld divulgou essa lista. Sabia que dá pra ajudar o Virando Gringa sem pagar nada extra por isso? Reservando Hostel ali na caixinha do lado direito do blog, o HostelWorld deixa uma parte da grana pra esse blog continuar vivo! Eba!

imagem2

Já faz alguns anos que o termo “hipster” surgiu no vocabulário do brasileiro. A palavra, que vem do inglês, caracteriza um estilo de vida de buscar o novo (ou então dizer que conhecia algo antes de todo mundo), e enfatizar coisas “únicas”, ou coisas que só você conhece. O HostelWorld separou alguns lugares bem diferentões que tem essas características: são pouco visitados, são voltados à arte, e vão render fotos muito boas pra você mostrar pra todo mundo que “você viu antes!”

1. Williamsburg e Bushwick – Nova York

Street art in the alternative neighbourhood of Williamsburg New York

Foto de: ZachMatt BiddulphJeff Gunn

Williamsburg já foi um dos bairros mais perigosos de Nova York, mas agora é lar de artistas e visitantes de todo o mundo. Visite a Pierogi Gallery depois de uma visita ao Artists & Flea Market. Perto deste bairro você vai achar também Bushwick, cheia de bares no meio de fábricas abandonadas (umas das modalidades de edifício que faz mais sucesso no mundo hipster) e outros prédios em decadência, o que um traz contraste bacana.

Recomendação de HostelINTERNATIONAL STUDENTS RESIDENCE

2. Shimokitazawa – Tóquio

Shimokitazawa tem uma atmosfera bem mais relaxada em comparação com a muvuca que é Tóquio. Tudo que é considerado criativo está em evidência. Como todo bairro hipster, neste você encontra brechós “vintage”, cafés fofinhos e bikes pra todo lado, claro.

shimokitazawa-tokyo-1-1050x700

Foto de: AirBnb.

Recomendação de HostelSKANSTULLS HOSTEL

3. Södermalm – Estocolmo

Street art in the alternative neighbourhood of Sodermalm Sweden

Foto de: Benjamin HornJonas Nordström

A maior ilha dos arredores de Estocolmo, Södermalm tem sempre sido considerada uma parte popular da cidade. Tem prédios industriais e casas de madeira, museus, bares, casas de show e atrações suficientes para atrair a atenção da população hipster mundial.

Recomendação de HostelCITY BACKPACKERS HOSTEL

4. SoFo – San Juan, Porto Rico

SoFo é a parte sul da capital de Porto Rico. O estilo caribeño de casas coloridas, comida de rua muito boa, mercadinhos, bares e muita música, esse bairro grita hipster!

Recomendação de Hostel: POSADA SAN FRANCISCO

5. Canal Saint-Martin – Paris

The alternative neighbourhood of Canal Saint-Martin Paris

Foto de: Tonio Vega, Lydia, David McSpadden

Canal Saint-Martin é uma zona de hipsters boêmios, que comem frutas sentados na grama e bebem vinho tocando ukulele. Pra você sentir o nível de hipster dessa área, visite o Point Ephemere, uma barracão convertido em centro de cultura. Lá, eles organizam shows, eventos, exposições, e tudo acompanhado de um lindo bar com cervejas de qualidade.

Recomendação de HostelST CHRISTOPHER’S INN GARE DU NORD

6. Pigneto – Roma

O bairro Pigneto, em Roma, se desenvolveu de bairro residencial para a classe média e modernizou. Agora, o local é cheio de lojinhas e cafés, e o seu centro mais importante é o “Kino”, que pra quem já foi pra Holanda ou Alemanha de pra sacar que é: cinema. Um centro dedicado ao cinema independente de Roma, com um bistrô e eventos musicais.

Recomendação de HostelTHE YELLOW

7. Dalston, Hoxton e Shoreditch – Londres

Street art in the alternative neighbourhood of Dalston London

Foto de: MossAlper ÇuğunMe Roe

Londres já é Hipster sozinha, só de existir, né? Mas, além do típico e muito visitado Camden, onde morava Amy Winehouse, Dalston, Shoreditch e Hoxton são também bairros diferenciados da capital inglesa. Você encontra muitos, mas muitos bares bacanas, brechós, e galerias de arte e design. Dalston, além disso, tem um “farm shop”: um experimento em agricultura urbana, com um bar, quartos para alugar e jardins hidropônicos.

8. Ainda em Londres temos o Farmopolis

uma iniciativa de jardins flutuantes, eventos de educação ambiental e agricultura urbana, yoga, café, galerias e muito mais. Visite:

farmopolis-london

Recomendação de HostelTHE DICTIONARY HOSTEL

9. Malasaña – Madri

O bairro das bicicletas, arte e cultura. Vemos que esses elementos se repetem em qualquer lugar do mundo hipster, né? Malasaña é o chamado “Wonderland District” ou o “Barrio de Las Maravillas”. Descubra por você mesmo, mas posso garantir que inclui música de rua, e comida barata!

Recomendação de HostelTHE HAT MADRID

10. Prenzlauerberg e Kreuzberg – Berlim

The alternative neighbourhood of Berlin

Foto de: Sludge GAndrew Filer

Berlim já é uma cidade hipster de natureza, quem é alternativo sempre fala de Berlim, foi à Berlim, mora em Berlim, curte bandas de Berlim, ou sonha com Berlim. Esse bairro mantém todas as características que fazem Berlim ser tão foda, toda a história, sem perder um ar de renovação constante, com bares e comidinhas sempre inovadores.

Recomendação de HostelBaxPax KREUZBERG HOSTEL

11. Fitzroy – Melbourne – Austrália

Conhecida como a cidade mais hipster de toda a Australia, Melboune tem em Fitzroy o seu centro mais expressivo. Um dos prédios mais bonitos da cidade é o Centro de Fotografia Contemporânea, e fica nesse distrito, que também abriga o Fringe Festival, uma das maiores celebrações da arte, música e teatro do mundo. Já sabe o que esperar!

Recomendação de HostelTRAM STOP 14 BACKPACKERS

12. Gracia – Barcelona

The alternative neighbourhood of Gracia Barcelona

Foto de: Alexandre LópezOh-Barcelona.com

Um bairro conhecido no mundo todo pelo Park Güell e pela Casa Vicens, a graça da Gracia (ha ha) é andar pelas ruas e simplesmente observar. Sempre tem o que se ver e são muitas, muitas, muitas formas e cores. Experimente caminhar a partir de uma hora antes do pôr do sol, e você vai ver como as formas tomam outras dimensões, especialmente se você tiver curtido uma sangria dos bares da região.

Recomendação de HostelBARCELONA CASA GRACIA HOSTEL

13. Beyoglu – Istambul

The alternative neighbourhood of Istanbul

Foto de: Guillén Pérez

Como se não bastasse estar em Istambul, Bayoglu é tão cheio de coisas pra fazer, ver, cheirar e ouvir, que você não vai saber por onde começar. Tem música na rua, gente vendendo comida, ruas estreitas e elementos de um passado não tão distante.

Recomendação de HostelBELLAVISTA HOSTEL BEYOGLU

imagem2

14. District VII – Budapeste

Um bairro reconstruído depois da destruição da guerra agora renasce e está sendo projetado para o futuro. Tem bares construídos em ruínas, em prédios abandonados e com móveis achados no lixo ou então reciclados com pedaços de outros móveis! É basicamente o centro artístico da cidade, com eventos, música ao vivo, mercados de rua e exibições de arte.

district-vii-budapeste-ideal-magazine

Recomendação de HostelWOMBATS CITY HOSTEL BUDAPEST

15. Mission District – São Francisco – Estados Unidos

The alternative neighbourhood of Mission District San Francisco

Foto de: torbakhopperemile lombard

Como tradição, um bairro hipster é “trendy” e moderno. O exemplo mais gritante disso é esse bairro, uma das áreas mais antigas de São Francisco, e que agora é um local de experimentação total. O museu Precita Eyes é o guardião deste tesouro de experimentação, e vai te ajudar a descobrir uma vibe que você não vai sentir em outro lugar (ou assim eles dizem).

Recomendação de Hostel: USA HOSTELS SAN FRANCISCO

Precisa de hospedagem barata em qualquer lugar do mundo?
Reserve por Aqui e ajude o blog sem pagar nada a mais por isso!
E que tal visitar museus pela Europa sem fila?
Reserve com o TicketBar Aqui e ajude o blog sem pagar nada a mais por isso!


Quer saber tudo e mais um pouco sobre veneza?
Compre o e-book! Aqui e ajude o blog sem pagar nada a mais por isso!


Related Posts

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *