Virando Gringa

Au Pair na Holanda: por onde começar? Como é a vida lá?

Quer saber mais sobre a vida de Au Pair? o Virando Gringa separou conteúdo especial em três entrevistas com meninas que fazem Au Pair na Holanda!

Chega mais:

Nossa primeira entrevistada é a Keith, ela é de São Paulo e tem 26 anos.

au-pair-holanda-agencia-como-conseguir-salario-vida-amsterdam (3)

 au-pair-holanda-agencia-como-conseguir-salario-vida-amsterdam (8)

Um pouco sobre a vida na Holanda

“Atualmente moro em Den Haag (ou Haia em português) na Holanda e essa já é a segunda cidade que chamo de lar por aqui. Vim para a Holanda em fevereiro de 2015 através do intercâmbio como Au Pair, e morei por um ano com uma host family holandesa em uma cidadezinha chamada Oegstgeest a aproximadamente 30 minutos de Amsterdam”.

Por onde começar – Agências

“Au Pair na Holanda é feito obrigatoriamente com agências, diferente de alguns outros países na Europa. Eu escolhi a HBN (Huisje Boompje Nanny) e tive uma experiência muito positiva com eles. Todo o meu processo foi bem rápido (1 semana online e consegui meu match), mas isso varia muito. Me considero sortuda, pois no momento que fiquei disponível para ser apresentada às familias, combinou de ter uma host family precisando de uma au pair com as minhas características, e aí não deu outra: Match! Com a primeira família que conversei e depois de apenas um skype. Era pra ser!”

au-pair-holanda-agencia-como-conseguir-salario-vida-amsterdam (7)

“Costumo dizer que não existe host family perfeita e que morar na casa dos outros pode ser uó as vezes, mas sou muito grata por ter caído exatamente nessa família. Cuidei de 3 kids (2, 5 e 7 anos) e meus dias variavam entre sob controle, corrido e loucura. Além de cuidar do bem estar, alimentação e brincar com as kids enquanto eles não estavam na escola e creche, eu também ajudava com algumas tarefas de casa, como cozinhar, arrumar os brinquedos, colocar as roupas na lavadora e depois secadora, etc. Nada pesado. Eu também era responsável por levá-los para a escola, aula de teatro, hóquei e demais atividades. Tudo pedalando”.

“E por falar em bicicleta, quase tudo aqui é feito assim… pedalo para o supermercado, para a estação de trem, para a balada, na chuva, sol, frio, neve. Bicicleta se tornou minha melhor amiga. No geral, se locomover na Holanda é muito fácil e rápido. Além da bike, o trem também funciona muito bem e te leva à qualquer cidade ou até mesmo para outro país (duas horas de trem e você está na Bélgica). Além disso, é possível ir de ônibus ou com companhias aéreas low cost para vários países. Ou seja, viajar pela Europa saindo da Holanda é super viável, e acho que isso é o que mais amo por aqui. Em um ano como Au Pair, conheci 10 países e mais de 20 cidades! Bom, eu poderia passar horas listando as coisas que amo (ou as que nem tanto, afinal, nem tudo são flores) na Holanda, mas o que importa mesmo é o quanto essa experiência de viver em um outro país tem sido valiosa para mim”.

Experiência depois do Au Pair

“Semana passada, ao visitar minha ex host family, fui tão bem recebida e senti um carinho tão grande, que me fez ver o quanto esse intercâmbio valeu a pena para mim. Sou infinitamente grata por ter sido parte de uma família que, mesmo não sendo perfeita (eu também não sou), foram perfeitos para mim. Três crianças que, apesar de me enlouquecerem muitas vezes, eu quero que façam parte da minha vida para sempre. Amigos maravilhosos que esse país me deu. Isso sem falar na minha sorte de ter conhecido, durante meu intercâmbio, um holandês tão especial, que se tornou meu namorado e a pessoa com quem eu divido minha vida hoje em dia”.

au-pair-holanda-agencia-como-conseguir-salario-vida-amsterdam (6)

Nem tudo são flores no país das flores

“Viver longe de casa não é fácil. São vários obstáculos e recomeços – além da saudade quase insuportável. No meu caso por exemplo, desde que meu intercâmbio acabou, eu troquei de visto e passei a viver com meu namorado. Isso por si só já seria uma baita de uma mudança na vida, mas ainda tem mais… Estou aprendendo de vez o holandês (já que durante o Au Pair eu foquei mais no inglês), pensando em recomeçar na carreira, me adaptando à viver na Holanda por conta própria (sem host family) e me acostumando com a vida nova. Já disse que não era assim tão fácil né? Mas se me perguntam se vale a pena, a resposta é sim, sim e sim!”

“Acredito que nossos sonhos são feitos para serem perseguidos e vividos. Eu segui o meu, e todo o crescimento pessoal, superação e aprendizado de viver em um outro país, longe (fisicamente) daqueles que eu amo, inserida em uma cultura totalmente diferente da minha, é simplesmente imensurável.”

Vai sim!

Caso viver essa experiência como Au Pair esteja nos seus planos, espero que você realize! E aproveite muito cada dia do seu ano e viva cada detalhe, pois passa rápido e um dia você vai sentir saudades.

E se quiser saber mais sobre a minha história, Au Pair ou minha vida na Holanda, visite o blog da Keith onde ela compartilha tudo isso e muito mais sobre sua nova vida na Holanda!

Precisa de hospedagem barata em qualquer lugar do mundo?
Reserve por Aqui e ajude o blog sem pagar nada a mais por isso!
E que tal visitar museus pela Europa sem fila?
Reserve com o TicketBar Aqui e ajude o blog sem pagar nada a mais por isso!


Quer saber tudo e mais um pouco sobre veneza?
Compre o e-book! Aqui e ajude o blog sem pagar nada a mais por isso!


Related Posts

Leave a Reply

10 comentários sobre “Au Pair na Holanda: por onde começar? Como é a vida lá?

  1. Pingback: Au Pair na Holanda - Como conseguir? Como é a vida lá? - 2° Entrevista

  2. Pingback: Babá no exterior: O que é Au Pair? Como participar de um programa de Au Pair?

  3. Bruna

    Oi Juliana, tudo bem?
    Parabéns pelo blog!!!
    tô muuuuuito interessada em fazer aupair na Holanda, mas eu tenho um problema.. A experiência com kids..
    Honestamente a única experiência que eu tenho foi dando aula de inglês, e foi por bem pouco tempo..
    Estou pensando em ir ano que vem, e nesse meio termo teria chance de ir atrás de voluntariados, etc..
    Vc acha que essa parte de experiencia pega mto?? Vc já tinha experiência antes de ir?

    Beijoos

    1. admin Autor da Postagem

      Oi Bruna,
      Eu não fiz au pair, esse post é feito a partir de depoimentos de amigas, a Keith e a Manu!
      Quer minha opinião pessoal? O voluntariado é sempre bom, pois com experiência você vai passar na frente das outras au pairs, e pode conseguir uma família melhor, numa cidade mais legal, etc…Qualquer diferencial que você possa ter, vai te ajudar.
      Se o voluntariado não custar muito dinheiro, faça!
      Pelo que eu sei, as meninas não tinham longa experiência antes de ir, mas é interessante você testar isso porque cuidar de criança não é nada fácil!

      Abraço

  4. Giulia Dutra

    Olá, olá,

    Esbarrei com seu blog e na verdade eu gostaria de conversar com a Keith. Eu já fui AU pair nos EUA em 2011, voltei ao Brasil, fiz uma segunda graduação, mas uma vez que você sai não dá para voltar, entãooo
    Esse ano decidi fazer Au Pair na Holanda porque lá estou dentro da idade (uhuuu) e porque meu namorado é Belga. (nada como ficar do lado do boymagia). E queria falar justamente sobre pós au pair e etc etc. Se não se importar meu e-mail: giudutra@gmail.com

    Na minha primeira experiência de Au Pair que teve sim seus altos e baixos eu pesquisei muuuuuito pouco. Dessa vez não pretendo cometer o mesmo erro.

    òtimo blog continue com as dicas que ajudam demais.

    Obrigada

    1. admin Autor da Postagem

      Oi Giulia,
      Ri muito com seu comentário, “nada como ficar do lado do boymagia” com certeza hauhauhuahuahua
      Vou repassar seu e-mail pra ela por mensagem, mas você pode ir no canal no youtube dela também, que ela é super ativa!
      Boa sorte com seu au pair na holanda, eu amo demais esse país e acho que você vai se dar super bem.
      Volte aqui pra contar, se quiser pode me adicionar no facebook! https://www.facebook.com/juliana.arthuso

      abraço

  5. Pingback: Qual a idade máxima para participar de um programa Au Pair?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *