Virando Gringa

O que fazer em Viena, Áustria – Dicas Locais

Já fiz um outro post com os básicos para se visitar em Viena. Agora, vou repassar as dicas locais que a minha amiga austríaca Claudia me passou.

Maior orgulho de ter no blog tanta informação exclusiva direto de uma nativa de Viena!! Enjoy!

Viena tem muitos mercados de rua. Eu tive a oportunidade de visitar três, e pode ser que você encontre outros na sua própria aventura. O primeiro é o Christmas Markt tradicional de Viena, que é o de Spittelberg, que tem até site próprio. Você pode comer muito chocolate gostoso lá, tomar chás e sopas, além de poder experimentar vários tipos de salsichas, coisa da influência alemã deles. Além de um negócio que parece pastel, mas não é, com um nome alemão, daqueles que você não vai conseguir contar pros amigos.

É isso aí: o nome é Erdapfelpuffer (dá pra ver ali na foto). Mas os brasileiros vão  acabar chamando de pastel mesmo. 

Nachmarkt: É um outro mercado de rua, pertinho da ópera, passando pelo centro de Viena, e indo na direção de um museu de arte moderna que tem tipo uma abóboda feita de flores (cor) de ouro no teto. É fácil de ver de longe, e depois que você chega lá você vê o markt. Lá você pode encontrar comidas de outros países, principalmente asiáticos. Além de produtos diferentes como damasco, algumas frutas exóticas, ervas especiais, e um bom café italiano. Fica aberto até bem tarde da noite, então a possibilidade de encontrar bêbados pós-balada é alta.

Viena’s Smallest Pub: Sim, o lugar é pequeno, mas já tem dois títulos: o primeiro pub irlandês de Viena, e também o menor de todos.
Pela minha experiência nesse lugar, eu chutaria que é o menor pub do mundo. Sério, era um “L”, e cabia em média umas 30 pessoas, isso já rolando cotovelada e disputa pela atenção do barman.
Mas porque vale a pena visitar? Porque é simplesmente uma obra de arte. Se você já foi no Delirium em Bruxelas, você vai achar parecido porque tem um monte de coisas penduradas no teto, desde apoios de cerveja gigantes, até tucanos comprados na Bahia (eu perguntei pro dono), até molho de chave, caneca da Bavaria (a região da Alemanha, não a cerveja), um pedaço de violão, enfim, pense numa coisa e estará lá. Mas com certeza o Deluirium é maior, e melhor.
Além da experiência decorativa, e da interativa de estar sempre tocando algum dos outros clientes sem querer em lugares inapropriados, nesse pub tem cerveja irlandesa, austríaca e também tem Guiness. Eu tomei a Red Irish, e a Kilkenny (só pelo nome). Oh My god, they killed kenny!

Endereço: Bockshorn Irish Pub. Naglergasse 7 (Korblerg), Vienna 1010.

Climbing Gym – Academia de Escalada: Esse lugar é mágico pra mim, e para minha amiga Claudia também. Já fui da outra vez que visitei Viena (em 2012), e agora visitamos de novo porque simplesmente vale a pena. 

Mesmo que você não goste de escalada, pense numa casa onde todas as paredes são cobertas de paredes coloridas com pedras pra você apoiar, e todo o chão é colchão. E tem um “trepa-trepa” atravessando um salão. É como um parquinho de gente grande!
Você pode cair, subir até o ponto mais alto, e se jogar, na confiança. Você pode ver austríacos (nação que mais escala outdoors no mundo) desenvolvendo suas técnicas indoors para depois levar para as montanhas. Você vai ver gente tão habilidosa que consegue ficar de ponta cabeça pendurada no teto. How cool is that?!

 
Bom, eu gostei demais! Saí de lá com os braços e as pernas doendo de tanto escalar, e saí com gostinho de quero mais. Além de ter ficado assistindo também uma competição local.
O melhor de tudo é que, se você vai pela primeira vez, os primeiros 20 minutos são de graça, e depois é bem barato, pois fiquei por mais 2h30 e paguei um total de 8 euros.
Eles alugam todo tipo de equipamento que você queira usar, mas no começo só precisa do tênis especial mesmo.
Dica: se você estiver começando, tente encontrar as rotas já determinadas, daí você só pode se apoiar no caminho dado pela rota. É um desafio, pois você não pode simplesmente se agarrar na primeira coisa que vê pela frente!
Enjoy your climbing!



Markt na Brunnengasse
Um terceiro Market de Viena fica na Brunnengasse (sim, isso é nome de rua). É bem fácil encontrar as rotas de tram pra lá. O que vale a pena nesse Market são as ofertas de legumes e verduras (compramos tudo por 1 euro uma vez), e também a visita à loja de geléias do Sr. Stauds.

Tem também Kebab a 2 euros, mais barato que a média. Então vale almoçar por lá num dia de sol.
Tem sabores bem exóticos, e misturas de geléia com outras coisas.

Restaurante que você paga o quanto quiser: Esse eu virei fã! 
É o “Der Wiener Deewan”.
Eles servem comida paquistanesa. Isso inclui arroz, cuscuz, frango apimentado, carne de cabra, lentilha, vegetais ao molho, e algum suflê de sobremesa. Bem simples. Água e pão sírio à vontade. E o melhor de tudo: a comida é o preço que você quiser. Sim.

Mas você vai gostar tanto que vai querer pagar um preço justo.
A gente pagou 8 euros cada. Mas a gente comeu pra c*****.

Endereço: LiechtensteinStrasse 10, 1090, Vienna.
Aberto para almoço e janta, aproveita!

Sustentabilidade também é atração!
Viena foi agraciada com o prêmio World City closest to sustainable Waste Management“, em 2010 por suas realizações na área da gestão sustentável. É uma cidade muito interessante pra quem é da área de Ciências Ambientais. Vale a pena ver três coisas:

Spittelau waste incineration plant – Até incinerador é arte: Um dos monumentos mais fotografados de Viena, mas que eu só fui conhecer depois que morei na Europa, é a torre de incineração de resíduos “Spittelau”, cuja fachada foi redesenhada e transformada nessa maravilha de estruturas coloridas e irregulares pelo eco-arquiteto Friedensreich Hundertwasser, após um grande incêndio em 1989. Ele também fez a casa que eu vou mostrar logo abaixo.
Desde ’89, o antigo edifício utilitário combinou os temas de resíduos, energia e arte de uma forma fascinante. Em uma visita à fábrica, os visitantes têm uma visão sobre a política de resíduos de Viena, orientação sobre reciclagem, bem como sobre geração sustentável de aquecimento para as casas.

The Hundertwasserhaus – A casa de Friedensreich Hundertwasser
 
Pelo visual da torre, já deu pra notar que o Hundertwasser não era dos mais tradicionais, né?
Em Viena existem mais obras dele, como a usina hidroelétrica, e as casas. A ideia central dele é sempre tentar manter formas orgânicas, menos quadradas e menos regulares, tornando o ambiente mais harmonioso, e principalmente, mais colorido do que o cinza nas nossas cidades.
 
Esse é o cara!! Ao fundo podemos ver uma das casas projetadas por ele.
Pra quem é da América Latina, as ideias desse arquiteto lembram muito algumas construções improvisadas do Brasil ou dos nossos vizinhos. Lembra a favela mesmo.
É tudo feito de azulejo quebrado, misturando as cores, e fazendo tudo de forma bem livre. As formas são sinuosas, onduladas. O chão também é irregular, você se sente pisando num ambiente natural sem piso, só que tem piso!
Eu sei que essa coisa de azulejo quebrado já existe no Brasil há muito tempo, mas por aqui foi algo inovador.
A graça mesmo da casa pra nós pobres que já conhecemos a arte do uso de azulejo quebrado, é a forma da casa, e as interações entre os componentes. Em alguns cômodos tem árvore saindo pela janela! E as paredes são irregularmente cobertas de planta, na parte de dentro da casa. É realmente muito orgânico, muito bonito, e inspirador demais!
Minha futura casa vai ter toques de Hundertwasser.



Outra visita mais focada pro lado ambiental é a usina Freudenau, no Rio Danúbio. Como uma das usinas hidrelétricas mais bem planejadas do mundo, apesar de ser pequena, ela fornece energia elétrica para a metade de todas as casas em Viena. Mais de 10.000 barcos passam através das eclusas da usina a cada ano. 
Visitantes também podem experimentar um passeio, pelo Danúbio Canal Tour, oferecido pelo DDSG possivelmente até mesmo a bordo do MS Vindobona, que um barco desenhado pelo nosso amigo Hundertwasser. Eu não fiz esse passeio, mas é recomendado pelos austríacos em dias de sol. 
Mas Europeu recomenda tudo em dias de sol, então fica a seu critério.

Próxima Parada…?
Se você está planejando sua próxima viagem, é legal saber que de Viena saem trens diretos para as principais capitais do Leste Europeu, como Budapeste, Krakow na Polônia, Zagreb, Sarajevo, entre outras.

Existe um trem local, da Westbahn, que fica mais barato que os trens da ÖBB ou da DB Bahn, e podem te levar por todo o Oeste da Áustria. Para saber mais clique aqui.

Apesar de ter sido um post gigante, com certeza existem mais atrações do que estas que eu mostrei. Viena é cheia de coisa pra ver. Dá uma olhada no google, visite nossos fiéis companheiros Wikipedia, Wikitravel, Trip Advisor, e selecione as atrações que mais te atraem.
Ou então vai no modo “old fashioned” e pega um mapa de papel, chegando na estação ou no aeorporto.
Esse site, chamado USE-IT tem mapas feitos por locais. Tem bastante atração pra estudante. O mapa de Viena está aqui. Coloca no seu celular e manda ver 😉

Boa Viagem!!!

Obrigado Cláudinha!!love u!

Precisa de hospedagem barata em qualquer lugar do mundo?
Reserve por Aqui e ajude o blog sem pagar nada a mais por isso!
E que tal visitar museus pela Europa sem fila?
Reserve com o TicketBar Aqui e ajude o blog sem pagar nada a mais por isso!


Quer saber tudo e mais um pouco sobre veneza?
Compre o e-book! Aqui e ajude o blog sem pagar nada a mais por isso!


Related Posts

Leave a Reply

2 comentários sobre “O que fazer em Viena, Áustria – Dicas Locais

  1. Cal Castilho

    Já tinha visto o blog da Glenda há alguns anos. Morei 7 anos em Sevilha e estou há 2 em Benalmadena ( Málaga). sempre quis explicar tudo isso para as pessoas que conheço, meus valores mudaram. Odeio carro. Tenho até hoje a carterista da sevici ( bicicleta de sevilla) pois meu namorido mora lá e sempre que posso uso. Eu amo demais a minha vida, sou feliz. Adoro poder passear na praia a qualquer dia da semana. Tomar uma cerveja e uma tapa e pagar 3 euros!! poder ir ao banco, correio supermercado academia e trabalhar em 12 horas do dia e a pé! Não estou estou preocupada se vão me roubar, se o carro vai estar lá ( eu odeio mas tenho um por causa das viagens de finais de semana). Se o cara que esta na porra da agência de viagens que trabalho é um cliente ou um ladrão…. O duro é explicar tudo isso para quem nunca vivênciou isso. As pessoas não acreditam, acham que vc está querendo menosprezar, contar vantagem, etc. Eu amo a Espanha. Só tem uma coisa que não gosto quando vejo brasileiros que vivem aqui mas falam mal dos espanhóis… Mas isso é outra história, um novo assunto pra Glenda e pro pessoal da Brasil com Z colocar em pauta.

  2. Juliana Arthuso

    Realmente Cal, é péssimo quando a pessoa mora em um país diferente e pensa que as pessoas de lá tem que ser iguais aos brasileiros. Se mora na Espanha acostume-se com os Espanhóis, é lógico que serão diferentes, senão seriam brasileiros hahahaha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *