Freelancer: como planejar para tirar férias?

Freelancer tira férias? A carreira de quem trabalha de qualquer lugar é enxergada com um óculos cor-de-rosa por muita gente. Como assim planejar férias se nômade digital já vive de férias? Sou tradutora e redatora remota desde 2018, sempre escuto coisas como: “deve ser ótimo viver de férias, trabalhar a hora que quiser e o dia que quiser“.  Pera, não é bem assim…

Por muitos anos, nômades de vários países fizeram o favor de postar aquela foto clássica com o laptop na praia e agora todo nômade digital acaba sendo colocado nessa caixinha!

Ser freelancer ou nômade digital é bem mais complexo que sentar com o notebook na praia. No mercado competitivo do mundo freela, nem sempre é possível tirar folgas ou férias.

A rotina do freelancer é dividida em muito mais tarefas do que “apenas” o nosso trabalho. Como tradutora, tenho uma rotina bastante irregular por ter clientes de diversos países (e fusos!) e concorrer com pessoas do mundo todo.

Independente do setor, todo freelancer precisa estar em contato com novos e antigos clientes, cuidar da contabilidade, fazer marketing, capacitação e se atualizar com a tecnologia do seu setor.

Como se planejar para tirar férias com tanta coisa pra fazer? No meu caso, algumas coisas são básicas para organizar a rotina de tradutora como:

  • Conhecer o seu rendimento diário (número de palavras/hora e número de palavras/dia),
  • Ter uma tabela onde organiza todos os trabalhos
  • Usar ferramentas de tradução automática
  • e outras coisas que ensino no curso de tradução online.

Nesses 5 anos de vida de freela, fui aprendendo algumas coisas fundamentais para organizar minha rotina e conseguir planejar as férias sendo freela. Sim, freelancer tira férias!

Como tirar férias sendo freelancer

1. Faça parcerias com outros freelancers

Tem dias que acordo sem vontade nenhuma de trabalhar, às vezes bate uma TPM pesada e não consigo fazer nada que planejei. Nessas horas, recorro à minha rede de contatos.

Geralmente, tento dividir ou até repassar trabalhos inteiros para colegas que já trabalharam comigo no passado, ou sejam pessoas que eu confio. Nas épocas de “vagas gordas” quando a gente tem muitos trabalhos acumulados, pode ser necessário compartilhar.

Se você tem a sorte de nunca ficar se trabalho, pode ser uma alternativa repassar trabalhos para conseguir alguns dias de férias. Para conseguir ter parceiros que você confia o suficiente para passar um trabalho só uma coisa funciona: o tempo.

Dedique parte do seu tempo para conhecer outros tradutores, mesmo que em tempos de pandemia isso tenha que ser feito online. Antes da pandemia, eu estava sempre presente em congressos, barcamps, barzinhos, o que aparecesse e fosse acessível.

Além de ser bom conhecer outros profissionais e fazer amigos, você pode conseguir trabalhos dessa forma, por indicação ou por estar em um grupo de whatsapp onde compartilham um link.

2. Decida a data com antecedência

Como freelancer, planejar as férias com antecedência é importante para não perder ofertas de trabalhos e encaixar um tempo pra você no calendário. Também é importante para avisar os clientes, principalmente os diretos!

Caso esteja começando, talvez não tenha separado os seus clientes entre diretos e indiretos! Tenho diversos tipos de clientes como tradutora freelancer. Os clientes diretos geralmente são autores do material a traduzir e me passam as traduções diretamente.

Os clientes indiretos podem ser vinculados às agências de tradução, que são o “middle-man” entre clientes e freelancers. Elas reúnem times de tradutores e te passam trabalhos, às vezes sem que você saiba quem é o cliente.

Quando a gente sai de férias, é sempre bom avisar os clientes diretos com antecedência de um mês ou mais. Já as agências costumam ter suas próprias regras e vai depender muito.

Pode ser que você preencha um calendário de disponibilidade com meses de antecedência, ou pode ser uma agência que posta trabalho todo dia e tem tantos tradutores disponíveis que nem pede satisfações. Falo mais sobre tipos de clientes e como consegui-los no curso de tradução online.

Lembre-se: Sair de férias sem avisar os clientes diretos é pedir para ser esquecido. Imagina se a pessoa manda um e-mail te pedindo orçamento e você demora 2 semanas pra responder? Perde uma tradução por bobeira.

Defina sempre uma mensagem de resposta automática se não quiser olhar e-mails nas férias 😉

3. Tire pequenas férias quando conseguir

Nem sempre eu consigo me planejar perfeitamente. E nem sempre tenho trabalhos todos os dias. Por isso, nos dias mais parados me dou a oportunidade de tirar pequenas folgas.

Por exemplo, quando não consigo tirar férias, tiro folgas como: não trabalhar a manhã inteira, ou tirar o dia todo para ficar em algum parque olhando pro horizonte em ver de olhar para as telas, mesmo que seja uma terça-feira.

Honestamente, um dos principais motivos para ter me tornado tradutora freelancer é a liberdade de horário. Por mais que trabalhe bastante, jamais será tão entendiante quanto ser obrigada a estar no escritório num horário fixo todos os dias. Essa é uma conquista que me dá muito orgulho.🥰

4. Deixe trabalhos engatilhados para depois das férias

Ao avisar os clientes diretos sobre suas férias, você pode falar se tem algum trabalho que gostariam de adiantar, assim você pode acabar conseguindo pequenos trabalhos extras antes de sair de férias.

Deixar trabalhos agendados também ajuda a diminuir a ansiedade que assola os freelancers nas férias. É comum pensar que não deveríamos estar tirando férias porque esse tempo livre deveria ser uma oportunidade para adiantar algo que está atrasado. Já se sentiu assim?

Se pensarmos dessa forma, estaremos trabalhando o tempo todo, pois tarefas não faltam. Se organizar e colocar tudo na ponta do lápis é a única maneira de garantir que suas férias não vão prejudicar o seu trabalho e, assim, poder sossegar de verdade.

5. Guarde dinheiro todo mês

Acho até um pouco empolgante não saber o que vou estar fazendo daqui a 6 meses. Adiciona uma dose de adrenalina na vida! Mas só consigo pensar assim hoje em dia porque guardei uma reserva que equivale a 6 meses de salário. Caso contrário, estaria pirando.

Essa é uma meta que estabeleci há muitos anos, quando ouvi isso de um amigo que já era freelancer quando eu ainda estava na faculdade. Passei a guardar dinheiro todo mês, nem que fosse 10 reais.

Estabelecer a regra me fez pensar sobre viver com menos dinheiro e como fazer sobrar. Sei que “sobrar dinheiro no final do mês” não é a realidade da maioria das pessoas.

Por isso é importante começar a se planejar o quanto antes e cortar todos os gasto desnecessários, pelo menos no começo da carreira freelancer. Por exemplo, eu troquei o plano de celular para um mais barato, moro no interior em vez de capital porque o aluguel é absurdamente menor, coisas assim.

Poderia fazer um post inteiro apenas sobre cortar gastos, porque esse assunto é longuíssimo!

Voltando ao assunto principal, o que a reserva tem a ver com as férias?
Novamente, tranquilidade – peace of mind! Quando tenho uma semana com poucos trabalhos ou nenhum, tiro um dia de folga sem ficar pensando se vou comer mês que vem, ou pagar o aluguel.

Para ter certeza de que posso tirar folgas em paz, a reserva é uma peça importante. Se não tem reserva, não se preocupe, pois baixar o custo de vida é tão importante quanto para tirar férias como freelancer.

6. Esteja parcialmente disponível

O último item nessa lista de dicas sobre tirar férias sendo freelancer pode parecer um pouco chato. Sei que férias devem ser respeitadas e quase tudo que eu disser sobre “estar disponível nas férias” vai soar corporativo e anti nômade good vibes.

Porém, já tive algumas experiências sobre isso que gostaria de compartilhar.

Nem tudo que se faz durante o horário de trabalho é efetivamente nosso ofício, certo? Como tradutora, não estou traduzindo 100% do tempo. Como já mencionei aqui no post, tem várias tarefas envolvidas como contabilidade e marketing.

Nas férias, é possível fazer partes do seu trabalho que são mais fáceis, ou é possível administrar algo que é repetitivo e rápido – por exemplo, tirar 15 minutos das suas férias para abrir o PC e responder uns e-mails não vai te matar, mas pode ser essencial para que seu cliente se sinta respeitado e ouvido.

Não costumo usar redes sociais nas férias, mas se você gosta pode usar as férias para produzir conteúdo também. Afinal, quem é visto, é lembrado. Às vezes não quero ser lembrada e desligo mesmo nas férias hahaha

Particularmente como tradutora, sempre levo o notebook nas férias para conferir ofertas de trabalho em sites para tradutores freelancer. Posso acabar perdendo um trabalho caso não veja uma oferta no Proz, que costuma ter prazos curtos. Não sabe o que é Proz? Assista meu curso de tradução online na Worldpackers.

curso-de-tradutor-worldpackers
curso-de-tradutor-worldpackers
As aulas que constam no curso de tradução online são as seguintes:
1 – Preciso ter diploma de Letras pra ser tradutor?
2 – Quais são as áreas da tradução?
3 – Como adquirir experiência com trabalhos voluntários
4 – 15 Sites para conseguir trabalhos de tradução
5 – Dicas para conseguir trabalhos de tradução
6 – Tutorial sobre as CAT Tools e outras ferramentas de tradução – parte 1
7 – Tutorial sobre as CAT Tools e outras ferramentas de tradução – parte 2
8 – Quanto cobrar pela sua tradução
9 – Como fazer networking com clientes e colegas
10 – Conheça os tradutores que admiro
Para concluir, quero resumir esse post em dois pontos sobre tirar férias como freelancer: organizar nossa rotina de trabalho, olhando para o rendimento de forma honesta e objetiva. E organizar nossas finanças da melhor forma possível, para conhecer nossas despesas e média de ganho mensal, além de guardar. Ufa!

Um freelancer organizado é um freelancer livre

 

via GIPHY

mais posts NA CATEGORIA freelaNCER

virandogringa