O que é melhor? Intercâmbio de um ano ou 6 meses?

Essa postagem vai especialmente para quem se candidata a intercâmbio por universidades, ou programas de trabalho, au pair, etc.
Muita gente vem perguntar as coisas essenciais sobre intercâmbio, tipo preços, testes de inglês, dicas de viagem, que roupa levar, como fazer malas… E algumas ficam em dúvida entre pegar um intercâmbio de um semestre, de um ano inteiro, ou mais.

Eu já tive as duas experiências (já trabalhei fora do país por meses, e já estudei fora do país por um ano), e devo dizer que o intercâmbio de um ano foi melhor.

Parece muito, mas na verdade passa voando. Nesse post falo sobre minhas experiências de intercâmbio na Europa, então as dicas práticas são direcionadas a esse continente.
Porém, existem algumas reflexões sobre intercâmbio que tem muito a ver com o tempo da experiência e é sobre isso que vim falar hoje.
Primeiro, o intercâmbio de um ano vale a pena porque você pega todas as estações do ano em outro país e vai ter uma percepção diferente da natureza – e no caso da Europa vai sentir mesmo o que é o inverno com neve!
Sobre as limitações pessoais, não se deixe levar pelo medo ou ansiedade. Falei sobre isso nesse post aqui do insta, segue lá!
Não estou querendo dizer que Europa é melhor que outros lugares, nada assim. É só que, depois de estudar e trabalhar na Europa por mais de 2 anos, tenho facilidade com esse assunto.

Por que vale a pena fazer intercâmbio de um ano na Europa?

O velho continente tem muitas opções de companhias aéreas e rodoviárias (ônibus) low-cost, além dos trens que podem valer a pena em grupo, nas promoções, e se você gosta daquelas viagens longas onde se dorme no trem para não pagar hostel.
Estando aqui com alguma renda, e planejando bem, é possível conhecer um país novo todo mês. Se você tiver a chance de vir estudar na Europa com bolsa, vai acabar conhecendo outros intercambistas e aí poderá visitar a terra natal deles.
Enfim, você pode planejar viagens para outros países nos intervalos entre os estudos, ou trabalho. Agora, considere isso: em um intercâmbio de 6 meses tem menos de 50 dias de final de semana.
Quando você estuda, ou trabalha fora do país, cada dia livre tem a chance de se tornar uma experiência nova, mas o dinheiro é sempre limitado. Esse é outro motivo para optar por intercâmbio de um ano – dar tempo de guardar dinheiro pra viajar.

Por que considero que intercâmbio de um ano é melhor que 6 meses

Mal começou a se situar e já vai embora?

Conversando com outros intercambistas, cheguei à conclusão que uma pessoa demora por volta de 2 meses pra se adaptar completamente em um novo país.
Eu demoro por volta de 3 meses pra ser sincera. Quando eu falo “se adaptar”, eu quero dizer conhecer o seu lugar mesmo! Conhecer os ônibus da sua cidade que vão onde você precisa, onde se locomover para as cidades vizinhas, quais são as capitais mais próximas. E também conhecer o melhor supermercado da região, onde fica o hospital, farmácia, como chega da sua casa até o aeroporto, quem é seu vizinho, etc.
A situação “se agrava” quando a pessoa vem de au pair, que simplificadamente é uma pessoa que trabalha de babá no exterior para aprender idiomas ou estudar fora. Porque aí tem que dar tempo de você aprender a língua, se adaptar à família, gostar da família, a família gostar de você. Somado a tudo que já foi dito acima.
no intercâmbio de 6 meses dá tempo de você começar o processo, ver a coisa funcionando, começar a gostar e aí: acabou!

Intercâmbio de um ano: A gente precisa de tempo pra superar medos

Se você teve a coragem de topar o desafio de fazer intercâmbio, ou se você teve a sorte de conseguir ter grana pra isso, ou a maior sorte ainda de ter uma bolsa de estudos…Mergulha de cabeça e fica logo um ano.
Sei que nem todo mundo pode tirar um ano sabático quando não é estudante. Nesse caso, recomendo intercâmbios mais curtos, tipo intercâmbio de trabalho que fiz na Holanda.
Para quem vai ficar um ano, pode parecer um pouco assustador morar num lugar onde não falam sua língua. Onde ninguém sabe quem é você de fato. Cada esquina pode ser uma surpresa. A rotina, que você está tão acostumado há anos, vai ser quebrada em todos os aspectos. Você vai conhecer gente, que pode ser super esquisita (mas lembre-se que esquisito às vezes pode ser divertido, ainda mais se você também for – esquisita falando aqui 😉
Vai ter gente que gosta de fazer arranjos de flor no seu cabelo, mas eu encaro isso como muito amor <3
Tudo isso que eu disse no parágrafo anterior pode ser encarado como algo ruim, ou como algo bom. Tudo depende do ângulo que você vê as coisas.
Essa é a razão mais profunda de todas. A experiência de um intercâmbio é muito mais que viagens, comidas típicas, avião, mala, roupa nova, idioma novo. Intercâmbio pra mim sempre foi sobre me superar.
Sério. Meu maior medo é pensar que vou ter que voltar ao Brasil e deixar tanta gente querida pra trás. Como eu vou viver sem eles? Me fechava pensando que se eu não me envolvesse muito com ninguém, não precisaria ficar triste na hora de ir embora. Me isolava no começo, pensando que não conseguiria lidar com a ansiedade de falar com pessoas de outro país.
O que aconteceu foi que eu passei a valorizar outras coisas quando me vi sozinha num país completamente novo. Quem era eu pra achar que ia aproveitar todo o potencial dessa experiência sozinha? Que desperdício seria não ter conhecido as pessoas que conheci no intercâmbio por puro medo de socializar.
Ainda bem que tomei a decisão de ignorar meus medos e me deixar levar pelo que a vida me dava. Conheci pessoas que jamais esquecerei, que passei a amar e que me amam. Que sorte ter conhecido essas pessoas! 
Me achava esquisita demais pra participar da vida deles. E aí eles me mostraram que todo mundo é esquisito na sua maneira e que quanto mais aberto você estiver para não julgar a esquisitice alheia, melhor será sua vida e a vida de todo mundo ao seu redor. Essa galera me transformou em outra pessoa.
Se o tempo não é sua dúvida, mas sim como pagar pelo intercâmbio, recomendo mais alguns posts:
Espero que esse post tenha sido útil para te ajudar a planejar seu intercâmbio.

virandogringa