Virando Gringa

Roupas certas para enfrentar o inverno extremo


Não compre casaco de inverno no Brasil, não vale a pena. Aprenda a colocar as roupas certas, os tecidos certos, e como aguentar o frio!
A primeira vez que vim pra Holanda, em 2011, o inverno trouxe singelos -22°C. SIM, vinte  e dois graus celsius negativos!!! – então dá pra você imaginar que eu aprendi a ficar quentinha na marra!
Ainda no brasil, quando fui arrumar a mala antes de viajar eu pensei em colocar todas as roupas de frio que eu tinha, desde aquela malhinha colada, até jaquetas enormes (aquelas que te deixam parecendo um boneco da michelin), e tudo que eu tinha de lã, e assim por diante.

Vista-se em camadas

Mas quando viajei e chegou o winter, eu percebi que foi maior desperdício de espaço na mala porque o que precisa pra manter o corpo quentinho não é um monte de roupa, é sim algo que te impeça de perder calor. 
No caso não é a roupa que te esquenta, é você mesmo. Entende?
Então talvez nem adianta você trazer TODAS as suas roupas de frio, não precisa usar 25 mil jaquetas uma em cima da outra, mas sim escolher aquelas que tenham o tecido certo!
No meu caso, sempre uso uma lãzinha, e um tecido que seja isolante tipo couro, ou ainda uma jaqueta jeans, ou uma jaqueta de veludo, de brin, ou de outro tecido isolante (pode ser até as jaquetonas que eu chamei de boneco da michelin ali em cima. Se você possui uma dessa, não se ofenda, talvez eu só as odeie porque eu fico horrível nelas).
 
Mas assume, você também pensa nele quando vê essas blusas, vai…
Legal, com as dicas da primeira parte você já diminuiu bem a sua mala, né? Espero que sim.
 
Então, continuando, para o dia-a-dia é sempre bom pensar em coisas básicas, tanto para inverno quanto para outono. Porque nada aqui se compara com as estações no Brasil. 
Sério…qualquer brasileiro ou brasileira que more “de São Paulo pra cima” vai sentir frio até mesmo no verão daqui.
Mas se você for do Sul, você aguenta, tchê! Minhas amigas gaúchas daqui sempre sabem tudo o que vestir, sometimes até melhor que as próprias européias.
O que são coisas básicas, então?
Aquela malhinha de 15 reais da Marisa, colada no corpo é peça fundamental, vejo as meninas daqui usando muito, pois um tecido com base de algodão e colado no corpo ajuda a manter o calor que emana da nossa pele perto da região superficial, ou seja, não deixa ele se dissipar…
Por “malhinha” pode-se entender esta cinza que estava usando na foto, em Amsterdam (2011), com o querido amigo Matheus, mais conhecido como Beiçola, para os íntimos! hahahaha
Com essa malha, se for relativamente grossa, você consegue ficar tranquila num dia de outono, se você estiver andando e “turistando” por aí. Mas se tiver parada, vai precisar de uma jaqueta, com certeza. Já no inverno você precisa da jaqueta de qualquer maneira, pode acreditar!
Completando assim a lista da sua mala: blusinhas coladas de malha, alguma coisa de lá para reter o calor, e alguma coisa isolante!
De exemplo pra essas jaquetinhas que eu falo:

Essa jaquetinha quase anda sozinha, uso ela primavera, verão, outono e inverno! Essa foto por exemplo é no verão ainda, com parte da minha amada “International Food Collaboration of Beringhem!”
E moleton nunca é demais, né gente!! Sempre leve um ou dois! Você vai acabar usando, seja dentro de casa, ou seja por baixo de uma jaqueta de inverno! Ou seja de pijama! Moleton é moleton!!! No caso, esse é o moleton da Wageningen University 😀
Você vai formando mais e mais layers, conforme o frio vai chegando. Começou com a malha, agora a jaquetinha por cima da malha.
E o que mais?
Jaqueta de inverno: Eu acho besteira comprar no Brasil e levar, porque nossos tecidos são diferentes! E, pelo menos aqui na Holanda, eu garanto que você consegue achar umas jaquetas ótimas usadas pra comprar por preços melhores ainda.

Não compre casaco no Brasil!

Aqui tem essa cultura de mercado de rua (markt), brechó e trocas de objetos muito difundida, então é fácil você achar um Markt onde você pode comprar jaquetonas lindas por algo como 10 euros!
Eu morei em 2 lugares da Holanda e já visitei inúmeros Markts, então esse é o preço que conheço, mas pode mudar no seu caso…por favor, se você pagar mais, não venha me cobrar a diferença! hheuehuhea
Por exemplo, esse casaco eu comprei por 3 euros no Waterloo Plein, em Amsterdam!
Essa foto foi no meridiano de greenwich, viagem com os queridos van der Velden! (Thank you again for this amazing trip! :))
Um casaco como esse é peça fundamental, mas pesa muito e ocupa super espaço na mala, então se você for ficar por um tempo que compensa (6 meses ou mais), se eu fosse você, compraria na europa mesmo.
Ainda mais se você for tentar patinar no gelo e ficar caindo bunda assim como nós!
Tem também os super casacos que passam do joelho, são duplamente forrados e tudo mais, como esse aí, meu precioso casaco de super inverno! Mas esse é só pros casos de -20° como eu disse lá no começo do post.

O que dá pra levar do Brasil

1 – Luvas (inclusive aquela que pode mexer no celular)
2 – Chapéu ou gorro
3 – Cachecóis, aproveita pra variar nas cores…cachecol ajuda nisso porque os casacos de inverno são sempre pretos ou de cores escuras. É mais fácil comprar vários cachecóis de 10 euros do que vários casacos que custam muito mais.
4 – Polaina. Sim, volte para os anos 80! Não tem nada mais gostoso que ter as canelas quentinhas mesmo que esteja -10° lá fora.
5 – Meia-calça grossa: No vento gelado do inverno europeu, qualquer meia ajuda. Mas aquela fininha (fio 7 a 20) só vai te segurar por algum tempo. Pra poder andar livre por horas, invista numa meia-calça fio 40 a 80, que são grossas.
Tem até um chapéu do chaves ali no canto superior direito. Não é dos mais bonitos, mas é bem quentinho! E comprado em Berlim, ou seja, é chique!! hahahaha
Usando o dito chapéu, em Londres (inverno 2012).
É mais quente que chá inglês
Uma peça fundamental, e que você pode ver nessa mesma foto aí de cima, é meia calça. Eu tenho uma coleção interminável delas, porque são baratas, porém rasgam fácil, mas não obstante são a peça fundamental pra proteger sua pele do frio!
Como boa brasileira, eu gosto de continuar bonita mesmo com 5 camadas de roupa, e a gente gosta de mostrar as pernas né! Então a meia é a saída.
O segredo é: Você compra um único casacão preto, e a variedade vem dos acessórios!
Alguns exemplos da diversidade que você pode ter com meias:
Uma meia-calça vermelha pode ser tudo no visual, principalmente pras companheiras ruivas!  (viva nós!). E também dá pra ver uma outra jaquetinha que anda sozinha aqui, de brin (eu acho).
Essa é mais uma de meia calça. Da festa de halloween aqui em Beringhem!
Why So Serious?
Você pode usar uma, duas, eu já usei até 3 meias-calça de uma vez só. É até melhor porque daí o ventinho frio não passa pelos buraquinhos do tecido.
Além das meias, os cachecóis são também super importantes! Afinal, previnem a gente de passar frio no pescoço e ficar doente, além de serem lindos!
E não vai pensando que você aguenta, que não precisa, que eu sou fresca. Porque o frio é bruto! E o vento é forte!
Sorte minha que sou privilegiada e tenho uma mãe profissional em fazer cachecóis e quaisquer outras peças maravilhosas, então fica a dica, se você não tem a minha mãe, compre uns cachecóis, ou encomende dela! hahaha
Ela fala mais sobre crochê no blog dela Pontos da Ana.
Talvez você não tenha notado o cachecol por causa dos meus amigos lindos, mas foco, olhe à direita…Esse cor-de-rosa comprei no Marrocos (em Marrakesh!), e dá uma iluminada quando a maioria das suas roupas são marrons ou pretas, como é meu caso.

No dia que comprei estava calor, por isso eu e Kaio ficamos rodando por aí brincando de “O Clone” (lembra, aquela novela da Jade e do Lucas? hahaha)

Brasileiro adora pagar mico mesmo né? Pra que todo mundo usando véu…tsc tsc tsc
“Taí” a prova, eu numa típica cena marroquina, usando o cachecol! #medo³
Nessa foto dá pra ver o cachecol branco de lã, da minha hermana Diana (ola colômbia!). Aqui na Holanda esse é o estilo mais usado de cachecol, fofinho, grandão assim, que se você quiser pode até cobrir sua cara com ele!
Além dos cachecóis, as luvas, gorros, meias térmicas, e todo tipo de acessório deste gênero deve ser fortemente considerado, e nunca é demais, porque o frio pega nos extremos do corpo, e pode ser até perigoso se for muito gelado e por muito tempo. Então aproveita!
Essas são pequenas amostras do meu “arsenal” de inverno:
O cachecol com as cores do Brasil foi feito de crochê, pela minha mãe que tem um blog especializado neste assunto. 

Precisa de hospedagem barata em qualquer lugar do mundo?
Reserve por Aqui e ajude o blog sem pagar nada a mais por isso!
E que tal visitar museus pela Europa sem fila?
Reserve com o TicketBar Aqui e ajude o blog sem pagar nada a mais por isso!


Quer saber tudo e mais um pouco sobre veneza?
Compre o e-book! Aqui e ajude o blog sem pagar nada a mais por isso!



4 comentários sobre “Roupas certas para enfrentar o inverno extremo

  1. Aline

    Oi Juliana, legal ler seu post, estava morrendo de dúvida sobre o que levar, vou para a Holanda daqui 2 semanas. E, com certeza, a melhor parte é fazer umas comprinhas lá, certo!

  2. Brínea

    Geente, esse market na Waterloo Plein tem todos os dias?!?! *-* eu moro em Den Haag e ainda não achei um market desses, só ouvi falar, mas eles não acontecem sempre e ngm tem certeza de nada.

    Outra coisa q não se pode esquecer: Luvas! E das gordas de couro! Principalmente pra qm vai andar de bike… o vento corta a mão todinha se não usar =/

  3. Pingback: O que é melhor? Intercâmbio de um ano, ou 6 meses?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *